Parâmetros gerais

Parâmetros que controlam a saída na tela
{+ | -}{control | leader | xref | dir | fields | all }

Estes parâmetros determinam a saída que o procedimento de dump oferecerá na saída padrão (por default a tela), dos dados, o que é útil para revisar os arquivos físicos .MST y .XRF. A Saída predeterminada É +fields, que implica na saída sem formato de todos os campos do registro. Os registros apagados são incluídos no procedimento de dump e é indicado com a mensagem [DELETED].
Parâmetro +
Ativa a opção associada ao procedimento de saída na tela. Na primeira vez que é
empregado, cancela as opções predefinidas.
Parâmetro –
Desativa a opção associada ao procedimento de saída na tela. Na primeira vez que
é empregado, ativa todas as outras opções predefinidas. Exemplos:

mx CDS +xref
mx CDS -xref
mx CDS +control +leader +dir
mx CDS +all

Dica:
Observe que o exemplo mx CDS -xref é equivalente a mx CDS +control +leader +dir +fields. Da mesma forma, mx CDS -xref -fields é equivalente a mx CDS +control +leader +dir.

Os Parâmetros se referem às seguintes partes de .MST e .XRF, às quais não se tem
acesso direto pelo CDS/ISIS padrão:

Opção Vizualiza
control Registro de controle do MST, identificado como MFN=0.
leader Segmento de tamanho fixo de 18 bytes no começo de cada MFN.
dir Diretório dentro do registro que contém os índices para os campos de dados.
fields Os dados contidos nos campos do registro.
xref Conteúdo do arquivo .XRF.
all Ativa ou desativa todas as opções anteriores.

Para entender melhor a utilidade destes parâmetros é imprescindível conhecer a estrutura dos registros ISIS. Um registro com estrutura ISIS tem duas características especiais que oferecem uma grande versatilidade para o manejo de informação textual: campos repetitivos e de tamanho variável.
Visto que os registros não têm um tamanho predeterminado, nem os campos têm um tamanho fixo, nem uma quantidade predeterminada de ocorrências, não é possível ter acesso direto a nenhuma porção de dados dentro da base. O acesso ao registro se faz de modo indireto, através de ponteiros em um arquivo auxiliar com extensão .XRF, e dentro do registro os dados são acessados através de
ponteiros em um diretório. O arquivo .XRF contem toda a informação necessária para encontrar o ponto de início do registro solicitado dentro do .MST.

Dica:
Para mais detalhes veja Apêndice: Estrutura dos registros de uma base ISIS.

Was this helpful?

0 / 0

Deixe uma resposta 0

Your email address will not be published. Required fields are marked *