Conteúdo dos campos de controle (32001, 32002, etc.)

Utilitários CISIS

O campo 32001 e os sucessivos são gerados para registrar o resultado do processo
de jchk, e é composto dos seguintes subcampos:
Exemplo:

32001 «AUTOR^l2^kFRANCO, C.M.^o2^m1»
Campo Conteúdo
Primeiro dado, sem indicador de subcampo: nome do arquivo invertido da base
Alternativa;
^l[1/2] Subárvore do arquivo invertido de onde foi extraída a chave, 1 para termos até 10
caracteres de tamanho e 2 para termos entre 11 e 30;
^k Chave com a qual se fez a busca;
^o Número de ocorrências do campo do registro original do qual procede a chave.
^m1 Se a chave existir, é criado um subcampo m que contem: “1”.
Se a chave não existir no arquivo invertido alternativo, o subcampo ^m não é criado.

 

Exemplo:
1. Produzir uma listagem de autores inválidos:

mx CDS jchk=AUTOR=mhu,(v70/) pft=@check.pft –all now

O arquivo check.pft tem as seguintes especificações de formato:

if p(v32001) then (if a(v32001^m) then mfn,x2,v32001^k | No existe| / fi)
fi

Note-se que este exemplo é igual ao realizado com join porém, como não é necessário realizar um ref para cada termo e recuperar o registro, o tempo de execução é menor.

Vantagens do jchk em relação ao join
A execução é muito mais rápida, devido ao fato que não é necessário acessar cada registro; é suficiente saber que o termo existe. Outra vantagem é que jchk não usa o arquivo .IFP. No caso de distribuir arquivos de autoridade (authority files) não é necessário entregar esse arquivo, o que implica numa economia de espaço em disco.

Dica: É possível especificar até 16 jchk e join em uma linha do comando MX. Veja também: jmax=<n> na seção Parâmetros que modificam registros do Capítulo 3: Parâmetros que realizam processamentos sobre a entrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *